Bancos, banquetas, cadeiras e poltronas

Bancos, banquetas, cadeiras e poltronas

Todos têm a mesma função, mas qual é o mais indicado para o que você busca?

Cada um com sua forma, todos com a mesma função. Será simplesmente isso? A realidade é que – apesar deste ponto de partida – bancos, banquetas, cadeiras e poltronas têm suas particularidades. Este texto pretende evidenciar cada uma dessas peças, buscando expor o que para alguns pode ser óbvio, mas para outros nem tanto! 

Bancos:

Comuns em áreas externas, ou em locais de espera, os bancos podem contar ou não com encosto para costas. Também buscam acomodar de duas até cinco pessoas, em média. Os bancos, geralmente, têm altura de 45 centímetros do chão, podendo ser acolchoados no assento. Uma boa aposta é utilizá-los junto às mesas de jantar: não é a opção que mais traz conforto, mas é uma ótima opção para quem busca ganhar espaço, pois existe a possibilidade de serem guardados embaixo da mesa. Além de, claro, acomodar mais pessoas quando for necessário – ser uma opção mais em conta – e que irá trazer o mesmo design da sua mesa.

 

Imagem meramente ilustrativa – Mesa de jantar e banco Oregon

 

Banquetas:

Disponíveis em diversas alturas, usualmente empregadas em áreas como churrasqueira, mesas de bistrô ou bancadas altas. E qual a altura ideal para a minha banqueta? Bom, vamos lá. Aqui vale ressaltar que vai muito do gosto de cada um, mas o pensamento que não foge à regra, embora simples, é o seguinte: tem que sempre se pensar e deixar espaço para suas pernas ficarem confortáveis por baixo da bancada. Por isso entra a opção do gosto. A média que se deixa pra esse GAP, geralmente, é de 20 a 30 cm. Caso não queira ter essa dor de cabeça e tenha crianças em casa, por exemplo, o conselho é escolher banquetas com regulagem de altura!

Ainda, visto que são utilizadas em ambientes para refeições rápidas ou de estadia curta, de maneira geral também não contam com encosto para as costas, e por conta disso, apresentam apoio para os pés, sempre que possível. Notório é, quanto maior for a área destinada para o encosto, mais confortável é a peça. A dica aqui é pensar sempre no uso, geralmente as mais práticas não contém encosto enquanto as de encosto são para períodos de uso maiores. 

 

Banqueta Zacro

 

Banqueta Corinto

 

Cadeiras:

Uma das mais comuns peças de mobília do mundo, e objeto de estudo e design de diversos profissionais, as cadeiras são parte de nosso dia-a-dia. Neste caso, sempre contam com encosto para as costas, pelo fato de utilizarmos por longos períodos de tempo.

Diversos são os ambientes em que as cadeiras são usadas: quartos, salas de jantar, salas de estar, penteadeiras, escritórios, dentre muitos outros. Ainda, podem contar com apoio para braços, rodízios, assentos acolchoados, ou não, a depender justamente do ambiente no qual elas são utilizadas.

Tendo isto em mente, as cadeiras para mesas de jantar são as que podem, por exemplo, em um mesmo modelo, ter opções com e sem apoio para braços. Muitas vezes, as que contam com este tipo de apoio são utilizadas nas pontas das mesas, dando um ar de conjunto e conferindo um ar de aconchego a sua sala de jantar. Confira no site da loja, quais são os modelos que temos que podem ter esse apoio para braços ou não.

 

Imagem meramente ilustrativa – Cadeira Lindt

 

 

Poltronas:

Usualmente, utilizadas em salas de estar, mas não somente, as poltronas são peças que possuem um alto impacto estético no ambiente como um todo, principalmente, por conta de seu design. As poltronas também foram objetos de design de diversos profissionais, inclusive brasileiros como o ilustre Sergio Rodrigues e sua Poltrona Mole, e até mesmo o icônico arquiteto Oscar Niemeyer com a Poltrona Alta. Entretanto, não existem regras claras no desenho de poltronas, a não ser que devem apresentar: conforto e estética. 

Dependendo muito do gosto de cada um, essas peças também variam bastante da postura que nos sentimos confortáveis. O modelo desenhado por Oscar Niemeyer seria contraindicado por qualquer Quiroprata dos dias de hoje. Ou, até mesmo a clássica Poltrona Barcelona, de Mies Van der Rohe, não é um consenso estético, nem de conforto para profissionais do meio.

Nossos modelos Peoria e Valera apresentam uma pegada mais clássica, no qual você se senta de forma ainda ereta, e com muita classe. Já o modelo Elus exemplifica uma proposta mais semelhante à proposição de Niemeyer de sentarmos um pouco mais relaxados no móvel.

 

Imagem meramente ilustrativa – Poltrona Peoria

 

Ainda em dúvida do que é o melhor para o seu ambiente? Na PerséfOne, além da funcionalidade, compreendemos que essas peças devem trazer exclusividade e beleza ao seu ambiente. Consulte nossos especialistas para auxílio na composição de seu ambiente; e fique atento ao nosso blog para mais dicas de decoração!

Por Rafael Kubo
Arquiteto e Urbanista
Consultor comercial da Perséfone Móveis

 

kimberly Buratto kimberly Buratto

Comentários

Cadastre-se e receba nossas novidades